Mostrar mensagens com a etiqueta Gouveia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Gouveia. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, abril 15, 2016

22 de Abril em Gouveia: "Em Nome De Vergílio Ferreira" - Sarau Cultural






 

22 de Abril (sexta-feira), pelas 21h, no Teatro-Cine de Gouveia

O Instituto de Gouveia irá, à imagem de outros anos, realizar o seu Sarau Cultural. Este perseguirá o objectivo de ser uma mostra de saberes adquiridos ao longo do ano por todos os alunos, espalhados por variadíssimas disciplinas: Literatura, Teatro, Dança, Música, Imagem.
O centro de abordagem deste ano do Sarau, que se vislumbra desde logo no título atribuído – Em Nome De Vergílio Ferreira -, é o escritor e pensador Vergílio Ferreira, cujo centenário a cidade de Gouveia está a celebrar durante o ano de 2016. É, pois, uma obrigação revisitar a obra deste autor natural do concelho de Gouveia, sempre pretendendo, acima de tudo, que os participantes no Sarau e o próprio público (que a ele possa assistir) se sintam tentados a conhecer (mais) um dos seus conterrâneos que se imortalizou através da Literatura.  

terça-feira, novembro 24, 2015

Dia 29 de Novembro "O Bem e o Mal" está em Gouveia





O Teatro do Imaginário (Grupo de Amigos do Manigoto) vai apresentar a peça "O Bem e o Mal", a minha adaptação para teatro do romance homónimo de Camilo Castelo Branco, no próximo Domingo (dia 29), pelas 21h30, no Auditório do Escola Velha, em Gouveia.

Venham ver!



(Download da informação AQUI)



O Bem e o Mal

de Camilo Castelo Branco



Teatro do Imaginário



A nova peça do Teatro do Imaginário, a adaptação por Daniel António Neto Rocha do romance de Camilo Castelo Branco “O Bem e o Mal”, pretende celebrar em 2015 os 190 anos do nascimento deste grande nome das letras portuguesas.

A peça “O Bem e o Mal” surgiu do desafio que o Município de Pinhel fez a este grupo de teatro do seu concelho, após a inauguração do monumento que este município dedicou ao grande autor português por ocasião das celebrações dos 150 anos deste romance dedicado a Pinhel e às suas gentes. O Grupo de Amigos do Manigoto e o Município de Pinhel associaram-se então numa produção conjunta que irá agora percorrer o país.

A estreia aconteceu no dia 6 de Dezembro no Cine-Teatro São Luís, em Pinhel, tendo havido outra representação no dia 7 de Dezembro no mesmo local. Ambas com lotação esgotada.

Um reportagem televisiva da estreia pode ser vista na seguinte ligação: http://videos.sapo.pt/EcBIrolz6sKPKFF7vp1Z

 
Sinopse

“O Bem e o Mal” é uma história de encontros nas terras fidalgas de Pinhel no século XIX. Inicialmente, no centro da acção está Ladislau Tibério Militão, descendente directo de um ramo de santidade e de dedicação à Igreja, que encontrará a sua vocação nos olhos de Peregrina. Este encontro desenrolará, então, um conjunto de conflitos geracionais com um final inesperado. (duração aproximada - 1 hora)   





Ficha Técnica
Adaptação dramatúrgica e encenação: Daniel António Neto Rocha  /  Interpretação: Fernanda Fernandes, Daniel Ferreira, Raquel Castelo, José Ferreira, Ana Mesquita, Sofia Paulino, Diogo Paulino, Diogo Cerdeira, Bernardo Cerdeira, Maria Luísa Mesquita, Maria Gonçalves e Daniel Rocha  /  Desenho de luz e luminotecnia: António Freixo  /  Operação de som: Roberto Gama  /  Figurinos: Fátima Ferreira  /  Vídeo: Nuno Martins  /  Crianças no vídeo: Matilde Marques e Eduardo Silva  /  Fotografia: Arménio Bernardo  /  Co-produção: Município de Pinhel e Grupo de Amigos do Manigoto


 
Condições de Contratação e mais Informações

Contactar

José Martins Ferreira - teatrodoimaginario@gmail.com

quarta-feira, julho 01, 2015

Momentos em imagem #15 - Almeida Faria

(foto do Paulo Prata)

O Paulo Prata, amigo jornalista e fotógrafo com especial atenção a detalhes, ofereceu-me esta foto. O escritor Almeida Faria é um dos mais capazes pensadores da sociedade portuguesa. Eu conheci a sua obra em 2007 por intermédio da professora Ana Maria Machado e, no dia de ontem, pude trocar algumas palavras com ele. Aqui fica o registo desse momento. 
Obrigado, Paulo!


quarta-feira, abril 15, 2015

Sarau Cultural e Literário do Instituto de Gouveia - Escola Profissional






Acontece já na próxima semana o Sarau Cultural e Literário do Instituto de Gouveia - Escola Profissional. Completamente dinamizado por alunos, com o apoio dos seus professores - entre os quais eu -, este será um exercício artístico (com teatro, dança, poesia, música, multimédia e outras surpresas) e cultural que abordará o papel da mulher na sociedade. Brechtiano q.b., será um olhar diferente para as possibilidades de a sociedade pensar a própria sociedade. Para culminar, conta ainda com a participação especial de Fernando Alvim. Uma forma diferente de pensar Abril e as suas lições.
24 de Abril em Gouveia!

quinta-feira, dezembro 18, 2014

Ecos da imprensa

Notícia elaborada pelo Paulo Prata, para o jornal Notícias de Gouveia, sobre o lançamento do livro Tenho uma pedra na cabeça em Gouveia.

sexta-feira, novembro 21, 2014

Apresentação de ontem em Gouveia

(Foto de Paulo Prata - jornalista do jornal Notícias de Gouveia)

Eis uma imagem já do final da sessão de ontem (partilhada hoje pelo Paulo Prata no Facebook).
Posso dizer que foi muito bom o momento de partilha desta apresentação do "Tenho uma pedra na cabeça". Em Gouveia houve gente interessada em conhecer um "desconhecido" e os já conhecidos por cá estiveram para dar mais força ao aparecimento desta nova inquietação.
Obrigado pela presença a todos e em especial aos que ajudaram a que esta sessão fosse muito mais rica: Jos, José e Américo! Ao "dono da casa", o Eng. Maia, um obrigado pela "abertura das portas" e pelos desafios a que irei, certamente, dedicar o melhor que sei. À Eunice um obrigado por tudo! Ao professor, para mim (sempre), Tó Zé - António José Dias de Almeida - o gosto imenso de me conceder a honra da amizade longínqua e o facto de sempre nos unirem as memórias mais puras!
Agora, leiam e, em breve, estará marcada a sessão na Guarda e, muito provavelmente, em Famalicão da Serra.

quarta-feira, novembro 19, 2014

"Tenho uma pedra na cabeça": quem estará presente?

São estas algumas das pessoas que estarão activas na apresentação do livro "Tenho uma pedra na cabeça". Claro que há sempre lugar para mais alguns, que certamente estarão presentes - em carne e osso ou em pensamento.

Eu. Que farei algumas considerações sobre o pecado da escrita.

O professor António José Dias de Almeida, um amigo e mestre que fez a leitura e fará a apresentação da obra.

O Américo Rodrigues, um amigo e mestre que fará a leitura de alguns poemas (eu gosto muito de o ouvir!).

O Jos van den Hoogen, um amigo mais recente (vindo da Holanda) que me pintou - e deu em capa - e que fez a tradução para holandês do poema "Homem" - vai lê-lo durante a apresentação.

A José van den Hoogen, amiga holandesa que é escultora e esculpiu uma "Cabeça Liberta" - que poderemos apreciar na sessão de apresentação.

O Edgar Silva, o meu amigo mais novo - mas há mais tempo - que é um designer de eleição e a quem agradeço pelo trabalho que resultou na capa do livro.

sexta-feira, novembro 07, 2014

Sessão "Tenho uma pedra na cabeça" do dia 20 de Novembro





No próximo dia 20 de Novembro de 2014, pelas 18h30 horas, no Salão Nobre da Santa Casa da Misericórdia de Gouveia, irá decorrer a sessão de lançamento e apresentação do livro: Tenho uma pedra na cabeça no lado esquerdo anterior frontal ou nada disto, de Daniel António Neto Rocha. A apresentação estará a cargo de António José Dias de Almeida, professor aposentado, estudioso da literatura e da cultura, e Comendador da Ordem da Instrução Pública. Haverá ainda leitura de alguns poemas por parte de Américo Rodrigues - poeta, encenador e actor.







Sinopse do livro:



Aprisionada num recanto escuro do cérebro, a pedra significa e interpreta, ao mesmo tempo que oferece leituras e compreensões. Partindo da sua forma significativa, a pedra entrega-se nas mãos, nos pés, nos olhos, na imaginação ou no objecto de desejo de vários tempos e modos, surgindo nua e desprovida de vida no final da leitura. Tenho uma pedra na cabeça no lado esquerdo anterior frontal ou nada disto é o novo livro de poesia de Daniel António Neto Rocha.


Nota Biográfica:


Daniel António Neto Rocha (1982)



Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu. Com uma Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e com um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), é professor no Instituto de Gouveia – Escola Profissional, onde lecciona a disciplina de Português.

Nos últimos anos tem publicado e produzido com alguma regularidade. Publicou em 2011 o livro de poesia “Refracções em três andamentos” (Edição de Autor), tendo ainda, ao longo dos anos, publicado vários poemas em várias revistas nacionais e internacionais: na Revista Praça Velha (Guarda), na Revista Via Latina (Coimbra) e na Quinqué Revista Independiente (Casa Xitla, México), onde também está traduzido para a Língua Espanhola. No campo teatral, foi autor dos textos do Julgamento e Morte do Galo do Entrudo 2012 e dos textos do Julgamento e Morte do Galo do Entrudo 2011, este último em colaboração, ambos editados pela Câmara Municipal da Guarda (CMG) na Colecção Fio da Memória, e é autor da peça, publicada e representada pelo Teatro do Imaginário – Grupo de Amigos do Manigoto, “A Casa da Memória” (2013). Para além destas obras teatrais já publicadas, devem destacar-se as peças: “Um Outro Fim” (apresentada no Teatro Municipal da Guarda em Março de 2013); “O Juízo das Casas” (apresentadas em Março de 2014 em Pinhel durante a Feira das Tradições); “Visita encenada ao Juízo” (apresentada em Junho de 2014 na aldeia do Juízo – Pinhel); “O Bem e o Mal” (adaptação da obra de Camilo Castelo Branco, apresentada sumariamente em Agosto de 2014 em Pinhel e com estreia integral em Dezembro de 2014). Para além do trabalho como dramaturgo, tem também efectuado vários trabalhos de encenação e de representação. Ao nível do texto narrativo, publicou em 2014 o opúsculo “O convento”. Tem ainda publicado artigos, ensaios, recensões e crónicas em várias publicações, boletins e catálogos.

A convite do Teatro Municipal da Guarda (TMG), tem participado em actividades de divulgação da leitura, dos livros e da poesia, e tem integrado algumas produções teatrais e poéticas.

A convite da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL), na Guarda, tem participado em actividades relacionadas com a leitura e os livros, nomeadamente ao nível da poesia e ao nível da divulgação de autores da Guarda, tendo sido o produtor e comissário da exposição “Manuel Poppe: os trabalhos e os dias”.

Foi colaborador da Rádio Altitude (Guarda), no espaço de opinião “Crónica Diária”. Actualmente, mantém uma crónica no Portal Bombeiros.pt, no espaço “A visão do Bombeiro”, e tem colaborado com alguma irregularidade com o jornal Notícias de Gouveia, com um espaço intitulado “Conto em 552 palavras” dedicado à microficção.

Mantém e dinamiza o blogue “O Tempo das Silenciosas Discussões” (silenciosasdiscussoes.blogspot.pt).