sexta-feira, agosto 31, 2012

Na Guarda: esperamos por vós!


"Tripartida Poética" decorrerá no TMG em mais uma saudável actividade deste oásis cultural da cidade da Guarda: três poetas (Américo Rodrigues, manuel a. domingos e eu), três livros (Acidente poético fatal, Teorias e Refracções em três andamentos), muitas reflexões e infinita poesia. Será no dia 7 de Setembro, a partir das 21h30m!
Apareçam!


quinta-feira, agosto 30, 2012

Crónica Bombeiros.pt: “Papito siempre estaras en mi corazón” (Paizinho, estarás sempre no meu coração)





1. Há dias em que não conseguimos responder a todas as solicitações que se nos apresentam, e ficamos furiosos! Há dias em que, com um estranho sentimento preso ao coração, saímos de casa para defender outras famílias e bens, deixando aquilo que é realmente nosso: os nossos pais, as nossas esposas, os nossos filhos, a nossa família, enfim, a nossa casa. Há dias em que voltamos cansados, com o corpo ferido, mas com um sorriso no rosto: a nossa missão cumpriu-se! Há dias em que não voltamos e o sorriso apaga-se dos rostos que connosco partilharam tantas e tantas desventurosas saídas do quartel. Há dias em que a nossa família, a nossa carne, a nossa verdadeira razão de viver, perde aquilo que tem de mais precioso. Há dias em que a vida deixa de fazer sentido para um grupo de infelizes que são o nosso sangue. Há dias em que nos perdemos na memória dos homens e restamos, nomes singulares, numa lápide que alguns irão esquecer, mas não os nossos amigos e familiares. Há dias em que quem cai não pode deixar de merecer o nosso respeitoso cumprimento, o verdadeiro cumprimento: lembrarem-se da família que fica!

(...)



Guarda, 29 de Agosto de 2012
Daniel António Neto Rocha

(excerto do Texto publicado e disponibilizado no Portal Bombeiros.pt no dia 29 de Agosto de 2012)

quarta-feira, agosto 29, 2012

Em Coimbra: espero que possam aparecer!


É já daqui a cerca de duas semanas que acontecerão duas apresentações do meu livro "Refracções em três andamentos", lançado em Julho deste ano.

Falarei da primeira apresentação, a decorrer na Guarda, em breve.

Já a segunda acontecerá na FNAC Coimbra (Fórum Coimbra) no dia 8 de Setembro, pelas 17 horas, e responde a alguns "apelos" de amigos que não puderam deslocar-se à Guarda para o lançamento.

Mais pormenores e informações essenciais vão sendo dadas durante os dias que se avizinham.



Quem quer ser a Vera Pereira? (2) - O que acontece, também, na Guarda

As desculpas de quem comete as ilegalidades (entendam-se estas ilegalidades como algo que toda a gente sabe que nunca deverias ser permitido) permitidas por lei e por cada rei são sempre alicerçadas no comum, na normalidade e naquilo que todos os outros já fizeram e que, por isso, é assumido como algo que deve ser feito. Claro está que há um condimento que não é do conhecimento desta espécie de gente séria que controlam o emprego em Portugal, até na contratação do estado, que se chama VERGONHA!
Digo isto porque, e quem conhece as regras de procura de emprego de um qualquer comum desempregado, toda a gente que faz candidaturas a ofertas, como esta para a Vera Pereira, perde tempo e dinheiro (que vai escasseando) a efectuá-las e caso as não faça perde o direito a receber o correspondente subsídio de desemprego.
Logo, porque razão pedimos às pessoas que façam as suas candidaturas a ofertas de emprego que, como é comum acontecer, já têm um candidato preferencial e único? Porque é que continuamos a criar falsas expectativas sobre ofertas de emprego a pessoas que não são recomendadas por alguém? Porque é que não assumimos, como tantos fazem, a contratação preferencial sem recorrer à artimanha de um suposto concurso aberto a todos? Porque é que, e a vergonha absoluta está aqui, continuamos a dizer às pessoas que em Portugal todos têm as mesmas oportunidades, sendo iguais nos direitos e nos deveres, e depois lhes dizemos que não adianta o esforço porque tudo isto (esta treta de país) está a saque pelos supostos organizadores políticos?
Sim, concordo com quem diz que isto só lá irá à bomba e aos tiros!

P.S. - Vera Pereira, lembra-te: és a face da vergonha!

terça-feira, agosto 28, 2012

Quem quer ser a Vera Pereira?

Sem palavras!
Ou melhor: tantas Veras Pereiras que andam por aí!
Agora sim, sem palavras!

Nota: Nova Guarda

Ao que parece, o "Nova Guarda" está a bombar por aí!
Este Pravda guardense (assumindo o período negro da história deste histórico jornal soviético) voltará com novas palavras de ordem e com nova equipa para uma história velha e relha.
Ponto importante e decisivo deste "regresso": vem mesmo a tempo das fantásticas discussões eleitorais! Vamos ver quem lançará como o candidato que será o sebastião prometido aos cidadãos guardenses.
Estou ansioso!

quinta-feira, agosto 23, 2012

Motivo de chacota ou uma visionária?


Tenho para mim que a Senhora Cecília teve uma epifania quando tentou a restauração deste quadro. Se pensarmos que os valores da época em que se pintou o quadro eram valiosos e solidários, nos dias que correm estamos perante um assalto constante por parte de falsos profetas da solidariedade. Daí que antes era Cristo e agora a dona Cecília dá-nos o "ladrão com uma meia que esconde a cara"!

P.S.- Não tive qualquer intenção de fazer crítica religiosa mas, sim, crítica política e partidária!

segunda-feira, agosto 20, 2012

Criações pessoais: teatro

Estou a terminar a escrita de uma peça de teatro.
Já estava concluída, mas surgiram algumas desavenças entre este vosso amigo e duas das personagens, que começaram a mandar vir e a pedir maior protagonismo. O que é certo é que elas tinham razão e, por culpa delas, tive de misturar a realidade com aspectos fantásticos e surreais.
Está a ficar melhor assim!

domingo, agosto 19, 2012

Ecos da 6.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão

Podem ler a notícia sobre a 6.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão, publicada no Jornal Bombeiros de Portugal, aqui.

segunda-feira, agosto 13, 2012

Quem é que a Guarda leva a sério?

Foto do Professor Xavier Viegas (do premiado fotógrafo Edgar Martins)


Professor Xavier Viegas com Sérgio Cipriano e este vosso escriba (Foto da organização da Jornada)


E depois acontece isto! O Ministro da Administração Interna decidiu, de uma forma que eu considero merecedora de maior esclarecimento, pedir a um especialista externo à ANPC a análise do grande incêndio que andou livremente pelo Algarve. E quem decidiu ele convidar para tal análise (ler aqui)? Nada mais, nada menos do que alguém que tem colaborado intensamente com o concelho da Guarda em termos de formação para o combate aos incêndios florestais – o Professor Domingos Xavier Viegas. Espantados? Pois, é que o Projecto Sérgio Rocha ou o Portal Bombeiros.pt não têm o peso “cunhista” de outras entidades (sejam fundações, partidos, associações, ou outras coisas quaisquer). Daí que metade do concelho e do distrito desconhecem (quanto a mim não querem conhecer) a mais-valia que todos os anos é oferecida de forma gratuita ou a preço simbólico na jornada formativa que se chama “Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão” e que é a única actividade formativa do distrito para bombeiros desde há seis anos, apresentando também o único “staff-ride” que se realiza na Europa. Mas tudo isto não interessa às entidades da cidade (apenas a Governadora Maria do Carmo Borges olhou para esta actividade com visão de futuro!) e continua a ser feita sem o devido apoio de quem quer um melhor distrito e melhores e mais preparados agentes de protecção civil. Mas, como se pode ver sempre que um bombeiro morre, todos os responsáveis choram amargamente para poderem esquecer no momento seguinte.
Agora, é o senhor Ministro Miguel Macedo que nos dá razão e que nos, aos organizadores, obriga a continuar a nossa actividade, pois, se a sociedade civil desiste, quem nos valerá?
Para finalizar, tenho a certeza que deste relatório agora encomendado sairá uma análise fria e competente daquilo que se passou no Algarve. Espero é que depois não fique guardado na gaveta, pois é uma chatice termos de andar sempre fora da lei a tentar saber as conclusões dos relatórios que nos servem enquanto bombeiros. Só uma ressalva: lembrem-se que, caso fosse necessário, este relatório não serve de investigação policial (talvez o senhor Director Nacional da Polícia Judiciária possa esclarecer o como e o porquê de haver incêndios que não mereceram uma investigação a sério apesar dos resultados deles!), como se tentou fazer crer com outros relatórios.

Pensalamentos #54

A tristeza de não ser
Ou a incerta quietude
De permanecer irrealizável
Assente em nuvens.

quarta-feira, agosto 01, 2012

Pensalamentos #53

A um dia triste

Primavera negra e
infeliz
em que as tenras folhas
caem
demasiado cedo