quinta-feira, setembro 11, 2014

Pensalamentos #269 - fim

tudo se transfigura
numa metamorfose aparente
ou invulgar
e transforma
irreverente ou consciente

tudo se enovela
em gotas de sangue quente
ou gélido sabor
e tece
visionário ou derrotado

tudo tem um fim
em tons invisíveis
ou impossíveis
e se inicia
presente


Enviar um comentário