sexta-feira, maio 31, 2013

Famalicão: "A Casa da Memória" vai estar noutra Casa


Amanhã, pelas 21h30, "A Casa da Memória" muda-se para a Casa da Cultura de Famalicão, no concelho da Guarda! É mais uma apresentação pelo Teatro do Imaginário (Grupo de Amigos do Manigoto) da sua mais recente produção.
Apareçam!

Projecto Sérgio Rocha envia desafio à Liga dos Bombeiros Portugueses

"Seguiu já a carta com a proposta de constituição de um projecto nacional, anunciado na abertura do Curso de Combate Incêndios Florestais da 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão, que permita o aparecimento de uma "mochila" de transporte de "fire-shelter" com origem totalmente portuguesa e adaptada às necessidades dos combatentes portugueses.
Segue abaixo uma cópia da carta enviada ao Presidente da LBP."



quinta-feira, maio 30, 2013

Acordos na Guarda? #1

Há coisas nas coligações que dão que pensar:

- como é possível que se coliguem alguém que acusou o outro que agora apoia de continuar a gastar com o "circo" quando não há dinheiro para o "pão" com o suposto máximo responsável por não olhar ao "pão" e continuar a gastar com o "circo"?

- como é possível que gente que criticou, e bem, opções tomadas favoráveis às sombras raquíticas da cidade vá agora vai apoiar o candidato pródigo dessas mesmas sombras?

- como é possível que alguns homens e mulheres da cidade, que eram um exemplo moral, se venham expor fazendo (sem o saber?) o jogo de quem os critica na sombra?


P.S. - Penso que as sombras têm mel e as gentes da Guarda são, na realidade, umas vendidas por dá cá aquele cargo!

quarta-feira, maio 29, 2013

Pensalamentos #85

Sentamo-nos
com dinamismo perene
a imaginar a utopia que conquistaremos de seguida
ou então
a construir caminhos concretos para a melhoria das vidas

Lá fora,
o mundo passa
os passos são imundos
e o mundo é inundado de gentes que conspurcam os sonhos

terça-feira, maio 28, 2013

Notícia: Curso de Combate a Incêndios Florestais abre a 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão






"Realizou-se no passado dia 25 de Maio de 2013, em Famalicão da Serra – Guarda, o Curso de Combate a Incêndios Florestais com o qual se abriu a 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão.

Pelo sétimo ano consecutivo, o Projecto Sérgio Rocha e o Portal Bombeiros.pt associaram-se para trazer à memória de todos o trágico acidente que a 9 de Julho de 2006 ceifou a vida a seis bombeiros, entre eles o bombeiro português Sérgio Rocha, e assim evitar que os mesmos erros sejam cometidos e que mais vidas se percam. Desta forma, uniram-se e contaram com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Famalicão da Serra, da Junta de Freguesia de Famalicão da Serra, da Afocelca e do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF) da Universidade de Coimbra para realizar um Curso de Combate a Incêndios Florestais com um enfoque extremamente prático. Convém realçar que a organização deste Curso focou de forma clara que esta era a primeira de um conjunto de actividades que serão realizadas em Famalicão da Serra durante o ano de 2013, sob o nome de 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão. Entre estas actividades, destacou a organização, “irão realizar-se sessões de cinema e de música, sendo que no último trimestre do ano irá realizar-se um Curso sobre Uso do Fogo”.

Este Curso de Combate a Incêndios Florestais ofereceu aos cerca de 40 (quarenta) participantes um conjunto de lições que pretenderam aumentar a capacidade de análise e de actuação das equipas de combate, visando, por um lado, uma melhoria na intervenção e uma capacidade de observação que permita uma acção eficaz e em segurança. Na lição de abertura, Daniel Rocha, responsável pelo Projecto Sérgio Rocha, visitou a história e fez o retrato dos principais momentos do incêndio de 2006, apresentando de seguida algumas das conquistas que desde 2007 e até 2012 a Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão já tinha obtido através da sugestão de alterações a entidades governamentais. Finalizou com a apresentação dos objectivos para o que resta de 2013 e para o ano de 2014, anunciando que será iniciado um projecto que visará a realização de um documentário sobre o incêndio de Famalicão e anunciado que seguirá para a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) uma proposta de colaboração para o lançamento de um projecto de fabrico de uma mochila de transporte de “fire-shelter” que seja de origem portuguesa e que possa conjugar os factores da segurança, da eficiência, do conforto e do preço. Para além destes importantes objectivos, salientou que a realização da Jornada nos anos seguintes evoluirá para uma maior ocorrência de actividades relacionadas com os incêndios e distribuídos pelo ano inteiro. Após esta apresentação, Carlos Rossa forneceu aos presentes uma lição que focou principalmente o tema da segurança no combate, destacando-se aquele que é, no seu entender, um instrumento extremamente fácil de utilizar e com uma capacidade enorme de permitir um combate eficaz e seguro. Baseado no sistema norte-americano LACES, Rossa sugere a implementação deste sistema de segurança no combate através da sua tradução para o sistema MARCAMonitorização, Ancoragem, Rotas de Fuga, Comunicação e Área de Segurança, permitindo desta forma uma maior identificação do combatente português com a terminologia portuguesa e uma maior capacidade de implementação pela proximidade linguística. Seguiu-se a lição de David Davim, que focou o tema do combate e que forneceu algumas pistas de actuação tendo em consideração a observação de um conjunto de factores que são essenciais no desenrolar de um combate eficaz. Destacou-se nesta lição a questão do Alinhamento de Factores e a importância da sua integração no Sistema de Gestão de Operações (SGO), possibilitando desta forma uma maior capacidade de previsão da evolução do combate. Foram duas lições muito complementares e que forneceram dicas de actuação muito úteis e que tiveram uma excelente recepção por parte dos participantes.

Da parte da tarde, foi a vez da lição de Domingos Xavier Viegas que, com a facilidade de exposição que lhe é reconhecida, fez num primeiro momento uma revisão pela história recente ao nível dos números de incêndios florestais que ocorreram depois de uma época de chuvas intensa, relatando que é a primeira vez que estamos a chegar ao final do mês de Maio com um índice de chuvas tão elevado e alertando que, caso a época de chuvas termine agora, poderemos esperar uma fase complicada ao nível dos incêndios florestais no final de Julho ou início de Agosto. Após esta chamada de atenção, seguiu-se uma lição sobre as medidas de segurança mais eficazes perante a possível ocorrência de fenómenos extremos do fogo, não se coibindo de alertar os presentes para a possibilidade de, perante alguns desses fenómenos extremos e perante algumas condições do incêndio, ser impossível fazer um combate em segurança, sugerindo que nesses casos se recue para uma redefinição de estratégia. Numa lição sempre pontuada com conselhos de combate (como ocorreu nas lições da manhã), Domingos Xavier Viegas terminou a sua intervenção com uma referência ao Incêndio que em 2012 consumiu os concelhos de Tavira e de São Brás de Alportel, fazendo referência às falhas existentes e dando conselhos sobre actuação em condições idênticas.      

Após este conjunto de lições comunicações, que aconteceram na Casa da Cultura de Famalicão, o grupo deslocou-se para o local do acidente, em plena serra de Famalicão, fazendo a pé o trajecto que em 2006 foi percorrido pelos seis homens e tomando conta das dificuldades que eles teriam sentido naquele trágico dia. Este “staff-ride”, o único que se realiza na Europa, foi orientado por Domingos Xavier Viegas e foi complementado com as palavras de alguns dos homens que combatiam em 2006 naquele incêndio, tendo Mário Santos (hoje 2.º Comandante da Corporação de Famalicão da Serra) relatado visivelmente emocionado o momento em que viu o Sérgio Rocha pela última vez e o momento em que saiu queimado do incêndio. No final, antecedendo o minuto de silêncio que encerra cada Jornada, todos os presentes sentiram vontade em apoiar a iniciativa de criação da Mochila de transporte do “fire-shelter”, pois será uma forma de ser ultrapassado o desconforto que cria resistência por parte dos bombeiros à sua utilização. Orlando Ormazabal, um dos apoiantes da iniciativa e representante máximo da Afocelca, aproveitou este momento junto ao local onde foram encontradas as ferramentas dos seus combatentes e compatriotas para contar a sua experiência pessoal ao nível da utilização do “fire-shelter”, revelando-se emocionado com a forma como é acarinhada e lembrada a memória daqueles que caíram. A sessão terminou com um minuto de silêncio e com uma fotografia de grupo, prometendo a organização mais actividades para os próximos meses."


(Fonte: Bombeiros.pt)

domingo, maio 26, 2013

"A Casa da Memória" em Famalicão da Serra


É já no Sábado, dia 1 de Junho, que "A Casa da Memória", pelo Teatro do Imaginário, vai até à Casa da Cultura de Famalicão. O espectáculo tem o seu início às 21h30 e tem um preço de entrada simbólico.
Vamos lá ver se as pessoas que viram crescer o autor desta peça gostam ou não do resultado!

sábado, maio 25, 2013

Fechar o dia de hoje

(Foto de Sérgio Cipriano - "staff-ride" do Curso de Combate a Incêndios Florestais em Famalicão da Serra)

Sugiro-vos, neste encerrar de dia de Curso de Combate a Incêndios Florestais, uma leitura a uma pequena crónica que deixei incompleta aqui (para lerem a versão completa basta seguirem o link para o Portal Bombeiros.pt). Já que o tempo vai começar a ficar "quentinho", é sempre bom ficar a conhecer um pouco os homens e mulheres que vão passar o Verão a correr. Abraço a todos os bombeiros e, não se esqueçam, voltem bem e com saúde às vossas casas. 

Rádio F: entrevista

Oiçam aqui a entrevista na Rádio F. Estive à conversa com a Monike Costa na sexta-feira passada.

quinta-feira, maio 23, 2013

23 de Maio


Guarda: amanhã, 11h, na Rádio F

Amanhã, dia 24 de Maio pelas 11 horas, estarei à conversa com a Monike Costa, a partir das 11 horas, nas ondas da Rádio F. Será uma conversa sobre o Curso de Combate a Incêndios Florestais que decorre em Famalicão no Sábado, dia 25, e que marca o início da 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão. Mas a conversa deverá, tenho a certeza, passar por outros temas e será agradável de seguir.

quarta-feira, maio 22, 2013

Famalicão da Serra: última chamada para o Curso de Combate a Incêndios Florestais




É já no próximo Sábado, dia 25 de Maio, que decorrerá este curso único na Europa e com uma envolvência muito singular. Façam a inscrição e venham! Não se arrependerão!

terça-feira, maio 21, 2013

Crónica dos caminhos para as autárquicas 2013: as independências (parte um) (*) - 15. Crónica Diária na Rádio Altitude (4.ª temporada)



1. Começo hoje a fazer uma análise aos caminhos políticos que culminarão nas Eleições Autárquicas 2013 e aos protagonistas que vão aparecendo. Estas minhas análises não são de um entendido na matéria política ou de um comentador profissional. Sou apenas um cidadão que lê o que se escreve e o que se diz, e que se preocupa com o futuro que terão as suas terras do berço, tendo uma clara percepção dos joguinhos e dos oportunismos políticos que teimam em não desaparecer das ruas escuras da Guarda. São estas sombras vampirescas de falas angelicais que temos de desalojar a todo o custo, uma vez que é impensável criar a tão desejada cidade sustentável e sustentada quando ela sacia a jorros, qual ama-de-favores, os eternos chupistas que, habitando os bastidores, se refastelam eternamente de pança inchada ao sol. E é este o meu propósito: olhar e perceber, ao mesmo tempo que comunico aquilo que vejo e aquilo que se apresta a acontecer. Vou exagerar, perguntam vocês. Sim, possivelmente, mas no meu exagerar verão que há questões que são extremamente curiosas e oportunas e, pergunto agora eu, não teremos nós de exagerar para depois haver uma, por mais pequeníssima que seja, reflexão sobre a matéria? 



2. A candidatura independente de Baltasar Lopes. Do cabeça de lista sei aquilo que todos sabem e que são factos públicos: presidente de junta, deputado da Assembleia Municipal, principal motor de uma triste e escusada censura a um cidadão e obreiro de uma jogada de mestre que o colocou como principal beneficiário na exploração da praia fluvial da freguesia que preside ou presidiu. Depois disso o vazio é pontuado com o seu anúncio de candidatura, com a distribuição de um folheto com uma espécie de apresentação pessoal do candidato e com as recentes referências à sua retirada da política caso não fosse eleito e a uma frase enigmática: “nalgumas [freguesias] não vale a pena [ter lista] porque há lá meia dúzia de pessoas”. Estará o candidato, cuja lema é “Juntos pela Guarda”, a referir-se ao pequeno universo de votantes que existem naquelas freguesias ou será uma referência a ódios de estimação que terá por determinadas pessoas das freguesias em questão. Sendo efectuada uma ou outra leitura, talvez o candidato queira mesmo retirar-se, após as eleições, de toda a participação política. E faz muito bem se o fizer!  



3. Noutro campo de independência surge a candidatura de Virgílio Bento. Este traz para o seu lado, para além desse epíteto de independente, as cores desavindas dos arco-íris monocolores laranja e rosa. O papel e a capacidade de Bento como autarca são reconhecidos por todos nós, mas afundam-se nos exageros que aparecem e que aparecerão criados pela sua ainda secreta base de apoio a estas eleições. Dizem alguns apoiantes (identificados) que Bento é o único elemento do, até há pouco tempo, actual elenco autárquico que foi brilhante e que não cometeu qualquer erro, faltando, por estes dias, atribuir-lhe o papel de profeta curador das chagas dos pobres e de principal baluarte da ordem mundial. Se é para exagerar, exagerem em grande! Antes deste papel enquanto autarca, Bento dava aulas e bem, acreditando eu no que escrevem alguns seus antigos alunos. Claro que, para construir uma opinião, isto não chega! O candidato principal é bom, este é um facto, mas a sua ascensão é problemática e levanta muitíssimas questões. A primeira é o porquê de um socialista que defende a liberdade não aceitar o resultado das eleições que perdeu e que, como é óbvio desde cedo, têm implicações nas escolhas das equipas de trabalho. Depois, há quem diga que a sua candidatura é independente e que os vícios dos partidos ficarão de fora, mas o que parece existir é um curioso ajuntamento de gente com fortes responsabilidades partidárias nos últimos 12 (doze) anos. Gente essa que é dissidente dos partidos e que decidiu apostar forte numa espécie de Aliança Democrática tutti colori com pretensões independentistas, tentando fazer de conta que nada tiveram a ver com os anos que originaram o mal-estar entre cidadãos e partidos, e assumindo camaleonicamente uma oportuna capa de escuteiros bem comportados. “Chama-se a isto branqueamento do passado e resultará com os papalvos da Guarda”, dirão eles na sombra! Mas será que esta saída estratégica não serve também para desparasitar os partidos? Desviei-me em demasia do cabeça de lista. Virgílio tem grandes hipóteses, é certo, mas mais terá se enxotar as velhas sombras multicolores e prepotentes que lhe segredam ao ouvido já ouvidas lições de poder e se se rodear com um “exército” pobre, esquecendo os “mercenários” ricos. É que em Alcácer-Quibir houve um rei que confiou nos mercenários e, diz a história, em Portugal seguiu-se o indesejável jugo de Espanha. No fundo de tudo a filosofia bem nos alerta para o facto de os sofismas não terem desaparecido com a morte de Górgias e de serem cada vez em maior número os sofistas comportamentais com pretensões políticas e sociais.   

   



Moimenta da Serra, 20 de Maio de 2013

Daniel António Neto Rocha


(Crónica Radiofónica - Rádio Altitude, no dia 21 de Maio de 2013 - disponível em podcast em Altitude.fm)


(*) Disponível por período limitado de tempo

domingo, maio 19, 2013

As minhas crónicas futuras na Rádio Altitude: isenção e real independência

A partir desta Terça-feira (dia 21 de Maio) e até ao final da temporada de programação da Rádio Altitude, onde tenho um imenso gosto em colaborar, farei a minha análise pessoal e extremamente subjectiva sobre as candidaturas já conhecidas (tanto as oficiais legais como as oficiais ainda sem assinaturas para serem consideradas legais como as oficiais que não se sabe se são ou não legais). Serão desassombradas e têm como propósito trazer à onda da rádio uma visão de alguém que não tem "rabos presos" nem qualquer compromisso secreto com ninguém. Por isso, cá vou eu trazer verdadeira independência às autárquicas 2013, pois não sei se de outro modo poderá haver!

sábado, maio 18, 2013

Convite a todos os que lêem e visitam este blogue!



Na minha condição de membro da organização da 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão, cumpre-me convidar todos aqueles que comigo partilham este espaço a estarem presentes no Curso de Combate a Incêndios Florestais que decorrerá dentro de uma semana (dia 25 de Maio) em Famalicão da Serra. 
Gostava de vos ver por lá, pois não é só para bombeiros!

Deixo-vos a mensagem da organização:

"Ex.mo Senhor
Vimos, por este meio, dar-lhe conhecimento da realização e convidá-lo a participar, no próximo dia 25 de Maio, no Curso de Combate a Incêndio Florestais que integra a 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio da Famalicão (Guarda) e que decorrerá na Casa da Cultura de Famalicão da Serra. Agradecemos, desde já, a sua atenção e pedimos-lhe que nos ajude na divulgação junto dos seus contactos.
Segue, de seguida, o programa do curso e o link para a página oficial do Projecto Sérgio Rocha  (http://projectosergiorocha.blogspot.pt/). Acrescentamos ainda que a inscrição deverá ser efectuada através do Portal Bombeiros.pt no link http://www.bombeiros.pt/vii-jornada-de-analise-ao-incendio-de-famalicao-da-serra/ .

7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão da Serra
Curso de Combate a Incêndios Florestais

Em 2013 lembram-se os 7 (sete) anos que passaram desde o acidente que vitimou 6 (seis) bombeiros enquanto combatiam um incêndio em Famalicão da Serra - Guarda. Desde esse ano, o Projecto Sérgio Rocha e o Portal Bombeiros.pt têm empreendido acções e actividades que pretendem, acima de tudo, ajudar todos os bombeiros e demais interessados a conhecer melhor e de forma contínua o comportamento do fogo. Foi assim que se uniram ao Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF) da Universidade de Coimbra e começara a realizar anualmente as Jornadas de Análise ao Incêndio de Famalicão. Este ano não será diferente a realização desta jornada, mas haverá mudanças, logo a começar pela inclusão de cursos de formação numa 7.ª Jornada que percorrerá o ano. Assim sendo, começa no dia 25 de Maio com um curso, que conta com a participação de Domingos Xavier Viegas, um dos maiores especialistas mundiais ao nível do comportamento do fogo, e de Carlos Rossa e David Davim, antigos colaboradores do CEIF e especialistas em combate a incêndios florestais. Far-se-á também a visita guiada ao local do acidente, com paragens para perguntas e esclarecimentos, naquele que é o único "Staff-ride" realizado na Europa.


Programa

9h - Recepção aos participantes e café
9h30 - Abertura
10h - Comportamento Extremo do Fogo e Segurança Pessoal, por Domingos Xavier Viegas
11h Intervalo
11h15 - Desafios no combate aos incêndios florestais, por David Davim e Carlos Rossa
12h30 - Almoço e convívio
14h - "Staff-ride" na Zona de Intervenção do incêndio de 2006
16h - Homenagem no local
17h - Encerramento e lanche

O custo de participação no curso é de 10€ (o pagamento deverá ser efectuado no dia do curso)

Apoios (já garantidos): Portal Bombeiros.pt, Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF-ADAI), AFOCELCA, Junta de Freguesia de Famalicão da Serra e Bombeiros Voluntários de Famalicão da Serra."

quinta-feira, maio 16, 2013

Pensalamentos #84

Nem se trata de tristeza ou de desilusão. Apenas de desconforto motivado pela queda honrosa no vazio.

domingo, maio 12, 2013

Pensalamentos #83

Despedirmo-nos de um personagem que integrámos nas entranhas durante algumas semanas soa-me sempre a suicídio involuntário.  

sábado, maio 11, 2013

Programa: Curso de Combate a Incêndios Florestais - 7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão da Serra

Em 2013 lembram-se os 7 (sete) anos que passaram desde o acidente que vitimou 6 (seis) bombeiros enquanto combatiam um incêndio em Famalicão da Serra - Guarda. Desde esse ano, o Projecto Sérgio Rocha e o Portal Bombeiros.pt têm empreendido acções e actividades que pretendem, acima de tudo, ajudar todos os bombeiros e demais interessados a conhecer melhor e de forma contínua o comportamento do fogo. Foi assim que se uniram ao Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF) da Universidade de Coimbra e começara a realizar anualmente as Jornadas de Análise ao Incêndio de Famalicão. Este ano não será diferente a realização desta jornada, mas haverá mudanças, logo a começar pela inclusão de cursos de formação numa 7.ª Jornada que percorrerá o ano. Assim sendo, começa no dia 25 de Maio com um curso, que conta com a participação de Domingos Xavier Viegas, um dos maiores especialistas mundiais ao nível do comportamento do fogo, e de Carlos Rossa e David Davim, antigos colaboradores do CEIF e especialistas em combate a incêndios florestais. Far-se-á também a visita guiada ao local do acidente, com paragens para perguntas e esclarecimentos, naquele que é o único "Staff-ride" realizado na Europa.

7.ª Jornada de Análise ao Incêndio de Famalicão da Serra
Curso de Combate a Incêndios Florestais

Programa

9h - Recepção aos participantes e café
9h30 - Abertura
10h - Comportamento Extremo do Fogo e Segurança Pessoal, por Domingos Xavier Viegas
11h Intervalo
11h15 - Desafios no combate aos incêndios florestais, por David Davim e Carlos Rossa
12h30 - Almoço e convívio
14h - "Staff-ride" na Zona de Intervenção do incêndio de 2006
16h - Homenagem no local
17h - Encerramento e lanche
O custo de participação no curso é de 10€ (o pagamento deverá ser efectuado no dia do curso)


Faz a tua inscrição aqui!

(Fonte: Projecto Sérgio Rocha)

Pensalamentos #82 - Dias do fim

A sensação é de enfartamento constante, um daqueles pesos que nos atingem quando absorvemos com gula o alimento em grande quantidade. Mas o que acontece é o contrário, é um enfartamento por esgotamento de qualquer tipo de alimento mental ou social. O enfartamento é um cansaço que aflige quem se preocupa com o amanhã de todos nós, que parece estar perto do fim. E este talvez seja o único passo aceitável que o homem de hoje dá, sem ter noção dele, mas apontando ao fim das diferenças e da ostracização constante de quem tem um olhar sensível e humano. Talvez a destruição da terra seja o passo de "samurai" que honrará toda a raça humana.

sexta-feira, maio 10, 2013

Pensalamentos #81

Um cordeiro afaga o olhar dos incautos,
Levando-os a baixar a guarda.
Uma matilha, na sombra, afia os dentes!

quinta-feira, maio 09, 2013

Desilusão de um guardense

Mais do que uma triste oportunidade perdida, parece-me que a palavra "desilusão" é a mais apropriada para caracterizar a definição que as gentes da Guarda dão ao vocábulo "independência". Os dicionários da cidade, impressos depois de 1974, devem andar adulterados!  Parabéns às Rémoras, que não são necessariamente achatadas!

quarta-feira, maio 08, 2013

Teatro: "Entre o Céu e a Terra"


Estamos em ensaios e a estreia, só para convidados, é já amanhã, dia 9 de Maio. Depois, dias 10 e 11 de Maio, seguem as apresentações que, segundo informações, já se encontram esgotadas, não havendo hipótese de mais ninguém assistir.
É uma peça em que faço de um comentador de um desporto que por vezes tem traços "sujinhos, sujinhos, sujinhos", mas que é apreciado por muitos milhões de pessoas. Tudo isto envolto num misterioso combate pelo controlo dachamada, em tempos, "Hispania". 

terça-feira, maio 07, 2013

Crónica das trovoadas rosas - 14. Crónica Diária na Rádio Altitude (4.ª temporada)

1. A frase já não é de ontem, pois foi verbalizada no ocaso de Abril, mas o nosso quase privativo assessor guardense para as questões meteorológicas, o Vítor Baia, confirmou através da análise científica disponível aquilo que a sabedoria popular vai avançando sobre o mês de Maio. Claro está que ainda não sei qual foi a previsão que lhe foi permitida fazer sobre esta segunda semana de Maio, mas, a ver pela amostra que me atinge, lá virá mais uma semana de inconstante transformação atmosférica e de uma estranha fascinação pela vida de modelo, vestindo e despindo roupas a cada passo do dia. 

2. Mas de outras e metafóricas tempestades está a Guarda a ficar repleta e acredito que as próximas semanas serão plenas de agitação escondida e de jogos de bastidores, misturados com trovoadas fortes e tempestuosas onde as comadres se zangam e acabam por descobrir-se um sem número de verdades, quanto mais não seja ali para os lados da sede do Partido Socialista guardense e para os lados da futura sede de campanha do candidato independente que sabemos já existir e que se apresentará mais daqui a pouco. E a questão que se coloca sobre estes assuntinhos é bastante simples e merecerá a atenção de um especialista em matérias meteorológicas que consiga de forma bem mais perspicaz e certeira perceber qual será a evolução deste clima temperado guardense em vias de se transformar em clima agitado guardense. Para já, adianto algumas achas para a fogueira que podem ser úteis na análise mais profunda que a seguir obrigatoriamente se fará. Dizem as enciclopédias que o tempo depende principalmente dos seis elementos meteorológicos que passo a enunciar: a temperatura do ar, a pressão atmosférica, a velocidade e direcção do vento, a humidade, as nuvens e as precipitações. E, verdade seja dita, todos estes factores estão nos picos da sua agitação. Se não acreditam, vejamos! (...)


Gouveia, 6 de Maio de 2013 
Daniel António Neto Rocha 

(Excerto da Crónica Radiofónica - Rádio Altitude, no dia 7 de Maio de 2013 - disponível em podcast em Altitude.fm)
 

segunda-feira, maio 06, 2013

Na Guarda a não perder: exposição de Jos van Den Hoogen

"As Cores da Alvorada", de Jos van Den Hoogen

Descobri o Jos... Melhor, o Jos (e a sua esposa Jose, também uma artista a descobrir) descobriu-me a mim em Gouveia, onde trabalhamos as suas competências na Língua Portuguesa. Depois fomos sabendo aquilo que íamos fazendo para além das aulas. Ainda não vi as suas telas, mas já as pressenti no sítio que partilhei aqui há algum tempo atrás. A partir de amanhã, dia 7 de Maio, vai ter os seus quadros expostos no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda. 
Vale mesmo a pena visitar esta exposição que é um olhar de um holandês sobre as nossas vivências.


"Entre 7 e 26 de Maio o Café Concerto do TMG recebe a exposição de pintura de Jos Van Den Hoogen, intitulada “Sonho Lusitano”.
As pinturas expostas fazem parte da série Sonho Lusitano e incidem na paisagem e na gente da região da Serra da Estrel
a, onde o autor reside actualmente.
Jos van den Hoogen nasceu na Holanda em 1949. Linguista, trabalhou durante anos como professor no ensino superior. Aposentou-se em 2011 e em 2012 mudou-se para Portugal. Sempre guiado por Pieter Sonnemans, o seu mestre e amigo. As obras concentram-se sobre temas que o preocupam. Muitas vezes contêm textos ou têm textos como ponto de saída. Isso talvez reflicta o seu passado como linguista.
A exposição tem entrada livre e pode ser visitada no horário de funcionamento do Café Concerto, entre Terça e Domingo
.
" (Fonte: blogue do Teatro Municipal da Guarda)

sábado, maio 04, 2013

Repentes #23 - A Guarda e a cápsula do tempo!


Não tenho grande "pachorra" para coisas que considero pouco úteis e que, estas sim, criam uma letargia entre a hora em que se enterra algo e, passados 37 anos, se volta a desenterrar (e estou a imaginar que alguém tem curiosidade em desenterrá-la!), mas há expressões que não deveriam ser ditas, especialmente por gente que, com estas considerações, demonstra que passa ao lado daquilo que diz não existir por descuido ou por claro e manifesto desinteresse. 
Li hoje, nas páginas do jornal "Público", declarações que são atribuídas a um dos responsáveis pelo projecto da cápsula do tempo em que o mesmo diz que "Precisamos de iniciativas para contrariar alguma letargia social, económica e cultural que se vai instalando", acrescentando ainda que o enterramento de uma cápsula do tempo vai "criar atractividade sobre a Guarda para os próximos anos". Pois bem, eu não conheço pessoalmente este responsável pelo projecto, mas sei que é o principal obreiro de um Clube que congrega nomes sonantes da Guarda e que tem ao longo do tempo trazido o nome da cidade bem alto ao nível do desporto automóvel (lembro-me de alguns prémios que pilotos de Motocross de Famalicão ganharam nas suas galas!). Agora, se se referisse a outra cidade qualquer até se aceitava, mas dizê-lo numa cidade que tem vindo ao longo dos últimos anos a ter uma produção artística, logo cultural, cada vez com maior presença de guardenses, com diversas associações a produzir cultura, com um Teatro de âmbito nacional e com várias produções (desde livros a música a teatro a pintura ...) a terem reconhecimento nacional... Só pode ser brincadeira! E, atenção, nem sequer falo das várias actividades relacionadas com turismo natural ou histórico que também merecem participar ne chamada "questão cultural".
 
As perguntas que deixo no ar, sabendo eu que devem estar todos muito interessados em discutir o conceito de cultura, são estas: Sabem o significado de letargia? Os textos que integram uma cápsula do tempo podem ser consultados desde que a dita cápsula é enterrada e até que é desenterrada para assim criar interesse na sua consulta ao longo dos anos? Têm a certeza que os "velhos vícios e manhas" da Guarda são documentos que vão ter algum interesse no futuro? A geração que lerá esses textos terá algum interesse em seguir os conselhos ou reflectir sobre os pensamentos (e até auto-elogios!) de pessoas que hoje querem transformar a cidade na sua Quinta Pessoal? O que é preciso que a actividade cultural na cidade da Guarda demonstre mais para poder deixar de ser letárgica para as suas gentes? Haverá interesse em perpetuar uma filosofia maquiavélica e mesquinha para o futuro que se quer sustentável e mais social?

Por fim, é óbvio que estou a generalizar, mas, pelos vistos, na Guarda tudo se generaliza e só o que é do nosso foro pessoal e privado é que parece merecer o valor absoluto e o elogio!

Como obter o livro "A Casa da Memória"?



O livro "A Casa da Memória" é uma peça de teatro da minha autoria e editada pelo Grupo de Amigos do Manigoto (GAM). Assim sendo, o livro pode ser adquirido no Manigoto, na sede do GAM, ou através de um contacto mais directo com o seu Presidente, o José Martins Ferreira, através do seu perfil no facebook ou através do seu endereço de email (josemarferreira_1@hotmail.com). Se preferirem, podem também encomendar o livro através do meu endereço de email (danielroc@gmail.com), que depois eu agilizo a encomenda com o GAM. O preço por cada exemplar é de 6€ e, caso pretendam o envio por correio, acresce a este preço 0,50€ para fazer face a despesas de envio.

Compõem este livro, para além da peça "A Casa da Memória": 
- "Nota Inaugural" de José Martins Ferreira (Presidente do GAM); 
- "Prefácio" da Professora Ana Maria Machado (Professora de Literatura Portuguesa da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra); 
- "Posfácio" de João Neca
- "Introdução" e "Notas Finais", da minha autoria.

O design é de Ricardo Torrão sobre fotografia de Alexandre Sampaio e a revisão de texto é de Eunice Lopes.

sexta-feira, maio 03, 2013

Playlist com amizade dentro. Em Maio o tom é fraterno.


Saber, assim ao calhas, que o designer do cartaz para a Playlist de Maio no Café Concerto (CC) do Teatro Municipal da Guarda (TMG) tinha escolhido Miles Davis como figura central foi uma surpresa muito agradável e que tem uma carga simbólica muito grande. Celebraria o seu aniversário a 26 de, precisamente, Maio, tendo nascido em 1926, e parece-me que há aqui uma vontade de se lembrarem os 87 anos do seu nascimento neste cartaz. Se assim foi, fantástica escolha! Por outro lado, o mês de Maio é especial para mim (não, não é por causa das aparições de Fátima) pois o meu irmão Sérgio nasceu no dia 23 de Maio e, apreciador de Miles Davis (o CD que integra esta playlist é dele), faria nesse dia 33 anos. Desde logo, o mês de Maio merece da minha parte uma atenção cuidada e capaz de tornar o ambiente do CC um local de encontro ainda mais intimista do que aquilo que já é. Assim, a playlist foi efectuada com cuidado, mas devo confessar que a música em formato digital (fornecida através do Youtube e de outras fontes) me fez apreciador de música fantástica que não tenho em formato físico, logo disponível para integrar esta mesma playlist (ainda tentei que alguém me fornecesse por empréstimo o álbum "Funeral" dos Arcade Fire, por exemplo). 
Com tantas e tão boas razões para celebrar Maio, desejo apenas que passem bons momentos musicais no CC!        

quinta-feira, maio 02, 2013

"Provavelmente uma pessoa" no TMG no dia 3 de Maio

(Foto: Teatro das Beiras)

É um vício que vou tendo quando tenho hipótese de nele me envolver. Pego no carrito e vou até à Covilhã para assistir às peças do Teatro das Beiras que nunca me desiludiram. É um grupo de gente capaz e competente que apresenta trabalhos de nível fabuloso e nos deixa sempre com vontade de repetir a dose. Aqui há uns meses estiveram no Teatro Municipal da Guarda (TMG) para estrearem a peça "Pagar? Aqui ninguém paga!", de Dario Fo, amanhã (dia 3 de Maio) voltam a pisar o palco do Pequeno Auditório. A peça que trazem chama-se "Provavelmente uma pessoa" do dramaturgo português e teve a sua estreia em Outubro de 2011! Não soubesse eu já o grande trabalho e o valor que esta produção do Teatro das Beiras têm, ficaria extremamente interessado em saber o porquê de ainda estar em cena quase dois anos depois. Aconselho-os vivamente (volto a escrever), mesmo vivamente, a irem ver esta peça. É um drama, não de faca e alguidar, mas um drama psicológico em que um homem (grande interpretação do Fernando Landeira) fica arrasado simplesmente por poder ser o causador de algo (não vos digo o quê). A acção passa-se numa casa da zona sul (Setúbal) e é um retrato bem urdido da sociedade portuguesa dos nossos dias. A não perder!
Por fim, e em jeito de conselho a quem "tropeçar" por acaso em algum espectáculo deste grupo, não percam a oportunidade de assistir ao "Ay Carmela!", um espectáculo que está em cena há três anos, e que é simplesmente fantástico! 
Amanhã (3 de Maio), não percam no Pequeno Auditório do TMG a peça "Provavelmente uma pessoa!", pelo Teatro das Beiras.

quarta-feira, maio 01, 2013

Guarda: no Dia do Trabalhador vá ao Teatro



O preço de entrada é simbólico (3€) e os actores são amantes do teatro! 

"A Casa da Memória" é uma história de encontros e desencontros passada no centro de uma aldeia tipicamente beirã - o Manigoto. Por ali não faltam as beatas, os padres e os apaixonados que representam o imaginário daquela aldeia do concelho de Pinhel.

Esta peça é apresentada pelo Teatro do Imaginário (Grupo de Amigos do Manigoto) e pode ser vista hoje (dia 1 de Maio), às 21 horas, no Auditório da Câmara Municipal da Guarda.